English | Português

Login de Utilizador

Esqueceu a senha?

JUE reúne com utilizadores da fronteira de Komatiport

JUE reúne com utilizadores da fronteira de Komatiport

01 outubro 2012

Komatiport-(2).JPG    
A submissão do manifesto de carga pelos despachantes em Moçambique e a submissão da declaração aduaneira, através do sistema da JUE, constituíram os principais pontos abordados, num workshop organizado, no dia 1 de Outubro passado, em Komatiport, pela equipe de implementação do novo sistema de desembaraço aduaneiro das Alfândegas de Moçambique com o apoio da Maputo Corridor Logistic Iniciative (MCLI).

No encontro, que contou, igualmente, com a presença de representantes da CTA - Confederação das Associações Económicas de Moçambique, os operadores de diversas áreas de actividade de comércio externo baseados na África do Sul e Moçambique tomaram conhecimento sobre as actividades desenvolvidas no âmbito da operacionalização da Janela Única Electrónica, as acções de formação dedicadas aos utentes, disseminação do sistema junto da comunidade de operadores de comércio externo, incluindo funcionários das Alfândegas no uso e domínio das novas tecnologias de desembaraço de mercadorias.
Na ocasião, Félix Massangaie, gestor da equipa das Alfândegas de Moçambique no projecto da Janela Única Electrónica, explicou que “o que nos trouxe a Komatiport é a necessidade de abordarmos junto dos operadores de comércio externo baseados aqui, na África do Sul, sobre o sistema da JUE, uma vez que este país é um dos que actualmente mais trocas comerciais tem com Moçambique, daí a necessidade de explicar aos operadores sobre os procedimentos usados para facilitar a transacção comercial entre os dois países, reduzindo o tempo de desembaraço”.

Por seu turno, Barbara Mommen, em representação da MCLI, não escondeu a sua satisfação com o workshop, avançando que foi uma oportunidade ímpar que os operadores económicos sul-africanos tiveram na busca de conhecimento profundo sobre as funcionalidades da Janela Única Electrónica.

“Estamos ávidos e esperançosos com o sistema da JUE e muito admirados em ver que Moçambique, em tão curto espaço de tempo, já está a implementar o sistema para o desembaraço célere de mercadorias”, disse Barbara Mommen, para depois acrescentar que “tratando-se de um sistema que trabalha com as Alfândegas, há necessidade de sermos munidos de tanta informação, quanto for possível sobre a sua utilização, a exemplo deste workshop”.