English | Português

Login de Utilizador

Esqueceu a senha?

Alfândegas esclarecem dúvidas sobre o sistema

Alfândegas esclarecem dúvidas sobre o sistema

12 outubro 2012

despachantes-2.jpg   Mesa-que-presidiu-o-workshop-dirigido-por-Miguel-Nhane--Director-geral-Adjunto-das-Alfandegas.jpg

O cancelamento dos despachos não pagos dentro do período regular, a clareza sobre o regime de descarga directa, a falta do sistema derivada de falhas de internet, contra-marcas das mercadorias, scan de verbetes, saída antecipada de produtos frescos, avaliação das viaturas, autorização da saída de mercadorias, constam na lista dos pontos abordados no encontro entre as Alfândegas de Moçambique, a equipa de implementação da JUE e os despachantes aduaneiros.

Realizado no dia 12 de Outubro passado, liderado do director-geral adjunto das Alfândegas, Miguel Nhane, o encontro serviu igualmente para auscultar as preocupações daqueles operadores aduaneiros, de modo a melhorar ainda mais o desempenho do sistema, imprimindo assim uma nova dinâmica de modo a que os despachantes maximizem os ganhos pelo uso da JUE no processo de desembaraço aduaneiro.

Trata-se do prosseguimento das acções com vista a esclarecer dúvidas e prestar o apoio necessário para garantir a utilização eficiente das funcionalidades da Janela Única Electrónica (JUE), as Alfândegas de Moçambique e a equipa de implementação do sistema, reuniram-se desta forma, em Maputo, com os despachantes aduaneiros.

Falando momentos após o encontro, Ilídio Gonçalves, gestor das Alfândegas, explicou que “a nossa intenção visava perceber quais as principais preocupações que os despachantes têm e que avaliação fazem acerca da Janela Única Electrónica, tendo em conta que já estamos a um ano de implementação do sistema”.

Ilidio-Goncalves---gestor-das-Alfandegas-(1).jpg      “Pretendíamos também dar, da nossa parte, informação sobre os novos pacotes a serem introduzidos no sistema”, segundo referiu o gestor das Alfândegas, realçando que “recolhemos algumas contribuições bastante válidas, para aquilo que será o futuro da JUE, uma vez que todos queremos que seja um sucesso, tanto a Autoridade Tributária de Moçambique, como os operadores aduaneiros”.
Por sua vez, Adriana Savanguana, despachante aduaneira da Arnaldo Guibunda & Associados, disse ter ficado com boa impressão do encontro, pois “foram levantadas muitas questões pertinentes, cuja maior parte já foi esclarecida”. “Estamos numa fase em que praticamente todos estamos a tatear e acredito que, a médio ou longo prazo, superaremos os problemas”, indicou a despachante aduaneira, ressalvando que “de um modo geral, é um bom sistema e vale a pena apostar nele”.      Adriana-Savanguana---despachante-aduaneira-da-Arnaldo-Guibunda---Associados.jpg